segunda-feira, 22 de junho de 2009

Aminoácidos I - GABA e Glicina


GABA (ácido gama-aminobutírico)

Esse neurotransmissor é sintetizado a partir do glutamato, por ação da enzima glutamato descarboxilase. Consiste no principal neurotransmissor inibitório do Sistema Nervoso Central, mediando as ações inibidoras dos interneurônios locais no cérebro, podendo mediar a inibição pré-sináptica dentro da medula espinhal. Também atua dentro do córtex cerebral e entre o núcleo caudado e a substância negra.

Encontra-se armazenado em vesículas e sua liberação está correlacionada com a freqüência de estimulação do nervo. Interage com receptores pós-sinápticos de dois tipos principais: GABAa, ionotrópico, correspondente a um canal de íons cloreto, que provoca hiperpolarização da célula pós-sináptica, dificultando o alcance do limiar de despolarização e diminuindo, portanto, a condução neuronal (inibição); GABAb, metabotrópico, que se encontra indiretamente acoplado tanto às vias bioquímicas quanto à regulação de canais iônicos. Encontra-se assim, entre diversas outras ações, relacionado aos processos de ansiedade e regulação do tônus muscular (prevenindo hipertonia), a inibição de sua síntese pode levar a fenômenos de estimulação intensa, a qual pode ser manifestada através de convulsões.

Sua inativação no espaço sináptico pode ser realizada através da recaptação, através de transportadores ativos específicos, de volta às células pré-sinápticas ou para astrócitos gliais associados às sinapses. Também pode sofrer catabolismo, nas células gliais, pela ação da enzima GABA transaminase (GABA-T). O semialdeído succínico, produto do catabolismo, é oxidado em ácido succínico, que por sua vez, na mitocôndria, é convertido em -cetoglutarato, um intermediário do ciclo de Krebs que pode, em última análise, dar origem ao glutamato (o qual pode ser usado diretamente como neurotransmissor ou reiniciar o ciclo dando origem ao GABA).


Glicina

Esse aminoácido, que pode atuar como neurotransmissor inibitório, é sintetizado a partir da serina, por ação da enzima serina-hidroximetil transferase, apresentando produção local. O receptor para a ação inibitória da glicina apresenta muitas características em comum com aquelas descritas para a família do receptor GABAa, favorecendo a hiperpolarização do célula pós-sináptica por meio do influxo de íons cloreto.

Localiza-se principalmente na medula espinhal e tronco cerebral, sendo responsável por evitar a rigidez muscular e as complicações que dela podem advir (como paradas respiratórias, por exemplo). Sua desativação no espaço sináptico ocorre por um processo de absorção, através de transporte ativo, para a célula pré-sináptica.


Referências Bibliográficas:

http://www.sistemanervoso.com/pagina.php?secao=6&materia_id=256&materiaver=1

http://www.benbest.com/science/anatmind/anatmd10.html#glycine

www.portalfarmacia.com.br/.../conteudo.asp?id...

http://www.inec-usp.org/cursos/cursoII/principais_neurotransmissores_excitatorios_inibitorios.htm

Goodman, L. S. & Gilman, A. As bases farmacológicas da terapêutica. 9a edição, 1996.



Postado por Cecília Ramos Fideles e Carolina da Silveira Alves.

4 comentários:

  1. obrigada, é bastante esclarecedora e muito me ajudou esta explicação. kaligia (estudante de psicologia).

    ResponderExcluir
  2. Olá, tive dores na região da nuca, logo em seguida tive paralesia parcial nas mãos e pernas, fiz fisioterapia e voltei a andar depois de um mês, mas até hoje tenho dormencia nos pés e mão esquerda, tenho 1,95 e 42 anos, já fui em vários médicos, mas até hoje não obtive resultados, alguma coisa me diz que tenho falta de alguma vitamina ou aminoácido que resulta nisto. Pode ser?
    abraço

    Douglas López

    ResponderExcluir
  3. Obrigada esclareceu a minha dúvida .(estudante de Medicina Veterinária )

    ResponderExcluir
  4. Sou estudante de enfermagem e ainformação me ajudou bastante em minhas pesquisas para meu trabalho científico de fisiologia humana . Obrigada pessoal!!

    ResponderExcluir